quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Pensamentos #2

1- O homem de terno bem cortado pegou seu prato numa bandeja, pagou pela refeição e saiu da frente da balança; foi sentar-se do lado de fora do restaurante, na praça de alimentação do shopping. Em poucos passos, um tropeço, e uma nuvem de comida sobrevoando... caindo lentamente até o chão, terminando com o barulho alto do prato quebrando em grandes estilhaços. O homem nem começara a comer, nem havia sentado à mesa ainda e viu suas batatas e seu filé desperdiçados e a pulseira de seu relógio de ouro suja de molho. Resolveu deixar como estava. Foi embora, não quis comer, não quis nada. Não quis nem saber se poderia pegar outro prato; só saiu,
insatisfeitíssimo, gritando:

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Choque de realidade



Minha mãe sempre dizia que as tomadas davam choque; eu podia simplesmente só ouvir e concordar... mas não. Precisava colocar um grampo de cabelo nas entradas até sentir nos dedos - e no resto do corpo - uma descarga elétrica fulminante. Precisava descobrir se aquilo era mesmo verdade. Será que era possível? Uma coisinha daquele tamanho dar choque? Aliás, "o que é choque?", eu me perguntava... e foi assim que tomei meu primeiro. E acham que depois disso eu encostei novamente nas tomadas lá de casa? Nunca mais, nem pra ligar o vídeo-game.