sábado, 2 de julho de 2011

Mulher da minha vida

Tem certos dias em que eu acordo completamente carente. Mas tão carente que até os casais da rua me causam inveja. Cheios de amores, risadas e beijos... idiotas. E aí fica na cabeça aquela baita sensação de que a mulher da minha vida está sempre na próxima esquina. Afinal, quem nunca passou por uma situação embaraçosa ou engraçada e pensou "caramba, parece filme, é essa a pessoa da minha vida!", e logo depois tudo acaba... não passou de um 'mal entendido' e eu fico ainda mais, perdoem-me, puto.
Mas continuo andando, procurando... passam várias, e eu olho para todas! TODAS! Me apaixono por cada uma delas. E olho de novo, insisto, eu sou determinado! Quero uma retribuição!
E das duas, uma: ou ela passa direto e eu a acompanho com os olhos... viro para trás... e nada. Ou ela retribui o olhar, mas fico completamente congelado; não penso em absolutamente nada que me faria conquistá-la, e tudo que consigo fazer é uma cara meio envergonhada, meio séria, meio pamonha... meio incógnita.
Será que elas não percebem? Se tornam a mulher da minha vida durante cinco segundos! Dei todo amor e carinho que podia oferecer naquela rápida troca de olhares e nem se deram conta... e então, como não as conquistei, esqueço no dia seguinte. Canalha sou eu que faço um absurdo desses, é uma coisa horrível se apaixonar por mais de 20 mulheres por dia. Tanto é, que provavelmente não vou saber identificar quando realmente encontrar essa pessoa tão querida. Juro, posso passar o dia todo olhando pra ela e não vou descobrir. Afinal de contas, eu sou do grupo das ciências humanas, comigo não tem essa história de rolar uma química ou ser a metade de um. A mulher da minha vida está além da troca de olhares; me apaixonarei por ela, com certeza, mas preciso de argumentos que me provem que ela é realmente isso que aparenta ser e tem que ter um contexto. Principalmente porque depois de me apaixonar por mais de mil mulheres diferentes, meu coração está muito apertado, coitadinho.

... E se a mulher da minha vida morreu? Quer dizer, um casamento de 30 anos acaba com a morte... a pessoa viúva pode até namorar outra pessoa, mas sempre dirá que o verdadeiro amor da vida dela foi aquele que morreu. Ou seja, está com alguém que não ama... Mas que diabos é isso, meu Deus? Eu posso estar com uma pessoa e ela não ser aquilo que eu quero? Já posso começar uma relação com a certeza de que vou terminar, porque ela não é a pessoa pra passar a minha vida toda? Mas quem será, então? Isso tudo é o que, distração? Experiência? Deve ser... porque até encontrar essa tal pessoa da minha vida, vou continuar me apaixonando por várias, é impossível viver sozinho. Aquelas que não são 'A Escolhida', vão servir até certo ponto, pois cada uma delas, de alguma forma, vai me chamar a atenção, e eu sou homem, é claro que vou notar. Mulher é como música, meus amigos, cada uma tem um ritmo, um estilo, seus momentos repetitivos de refrão, algumas ficam na sua cabeça apesar de serem horríveis e outras você tem o prazer de ouvir... o importante mesmo é ser eclético! Perceber o que elas podem lhe oferecer, todas têm um ponto forte, todas são belas de alguma forma. E é justamente por esses pontos fortes que mais me atraio, eu gosto de ser músico.
Em qualquer esquina ou qualquer lugar do mundo, eu ainda sonho te encontrar. Dar aqueles cinco segundos de amor incondicional e dar ainda mais quando perceber que você é Ela. Mas pelo amor de Deus, não demora, elas não param de me ligar e eu estou caindo em tentação...