quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A generosidade do Senado

O Brasil vive um dramático dilema: são tantos problemas pra resolver, que não se sabe ao certo por onde começar. Onde devemos investir primeiro? Na saúde e no saneamento básico, talvez ou quem sabe na educação... coisas que mudariam pra melhor (bem melhor, diga-se às pressas) a vida de milhões de brasileiros. E foram com todos esses problemas, que nossos célebres parlamentares resolveram a equação e tomaram a brilhante decisão: aumentar em quase 70% seus próprios salários! Que ideia genial!
Um brasil que falta verba em todas as partes, em todos os cantos, agora pode ficar despreocupado, pois os nossos deputados e senadores vão desfrutar de uma qualidade de vida imensurável. Não só eles, mas também os ministros, o presidente e a galera toda que, pasmem, tiveram um aumento de quase 150%.
Chocante? Até que não. Só acho um tanto quanto injusto que estes recebam 40 vezes mais que outros servidores públicos do país e mais de 400 vezes que a maioria da população. É o Brasil passando fome, necessidade, doença e outros problemas deveras injustificáveis... e o bando de loucos ganhando mais e mais às nossas custas.
Nossas suadas mãos, calejadas de tanto trabalho e empenho. A recompensa não é nada generosa; chega ser pra lá de absurdo trabalhar 22 horas por dia e encher o bolso com míseros trocados. Nossos políticos? Bem... er... estão no ar condicionado, falando bobagem, trabalhando 3 vezes por semana, 4 horas por dia. E você se pergunta: por que diabos não me candidatei a deputado como o Tiririca? Ele é burro, mas pelo menos é rico... mas eu votei nele, então eu sou burro? Na matemática infame da ordem e do progresso, o resultado é ESSE: meu Brasil!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Rapidinha da Semana #17

A Santa Casa de Misericórdia que administra o Hospital São Luiz Gonzaga está consternada: Stephanie, de apenas 12 anos, foi morta este sábado (4) por um pequeno descuido dos médicos, que injetaram em sua veia cerca de 50ml de vaselina, ao invés de soro. O problema é que os frascos eram idênticos e ambos os líquidos eram incolores. Apesar de o nome de cada produto constar na etiqueta, quem quer que tenha medicado Stephanie provavelmente não viu o que estava escrito e injetou a vaselina no sangue dela.


Os dois produtos têm funções completamente distintas: enquanto o soro é aplicado, por exemplo, na veia de pacientes que sofrem de desidratação, a vaselina é usada na pele contra queimaduras e na lubrificação de aparelhos para exames médicos. A polícia investiga.


É impressão minha ou esses 'pequenos acidentes' estão ocorrendo cada vez com mais frequência? Falta de atenção agora virou moda pra culpar mortes em hospitais e todo mundo acha que isso é algo muito inocente para um profissional da área, que teima em mostrar incompetência. Que todos tenham mais cuidado, de agora em diante, pois uma vida não é qualquer coisa.