quarta-feira, 30 de junho de 2010

Rapidinha da Semana #7



Depois de tanta espera, finalmente o Cristo Redentor vai ser reinaugurado! Após os testes com as luzes verde e amarela (assim como o Maracanã, que também ganhou nossas cores), na noite dessa terça-feira, o monumento tem reinauguração marcada para amanhã (quarta, 30/06). Vale lembrar que o Cristo foi tomabdo como patrimônio nacional definitivamente em dezembro de 2009 (depois de um ano com o tombamento provisório em vigor!). As obras custaram 7 milhões aos cofres.




- E valeu muito a pena! O Rio de Janeiro continua lindo e o Cristo merecia...

terça-feira, 29 de junho de 2010

Sopra essa manga

Já existia faz tempo por aqui, chamada de corneta. Daí, foi só um africano doido aparecer e recriar o que já existia e a corneta virou febre com uma alcunha diferente; vuvuzela. Pra quem não sabe, vuvuzela vem do Zulu, dialeto africano local, que significa "fazer barulho". E essas porcarias realmente fazem barulho... Até demais.
Tudo bem, unzinho só soprando é um tanto quanto suportável, mas um estádio cheio delas, mais precisamente, umas 30 mil cornetas ou mais, se torna incrivelmente irritante. Se pela tv já é um porre, imagine estar dentro do estádio vendo o jogo? Não conseguir ouvir nem os próprios pensamentos por causa do barulho ensurdecedor que esse apetrecho infernal é capaz de fazer. Pra se ter uma ideia, os jogadores só se comunicam em campo ao pé do ouvido. Gritos? Não não, nem adianta. Os gritos, xingamentos e até o apito do árbitro são abafados pelo som delas. E após uma análise profunda, eis que digo que a culpa para jogos tão ridículos, é somente da vuvuzela! Os jogadores não conseguem se concentrar, se comunicar, muito menos chutar a bola sobrenatural, que é a Jabulani. Claro, você não pode culpar os jogadores que recebem milhões só pra fazer o que eu faço nas férias, por não conseguir chutar a bola. Coitados, a bola é leve e dois meses de preparação com ela não foram o suficiente. Pra piorar, ainda tem essas cornetas miseráveis pra incomodá-los durante as partidas... Chato. Vuvuzela, I hate you.
Mas depois, até que você se acostuma. Depois de uns dois ou três jogos, eu nem as ouvia mais enquanto assistia e só me lembrava delas quando alguém comentava que o barulho era o cúmulo da surdez precoce. É só relaxar e assistir, você nem percebe que elas estão aí no som da sua tv. E vê se toma vergonha na cara, você já tem a sorte de não estar lá ouvindo de perto; se incomoda tanto, tem um botão do controle remoto que é muito útil nessas horas: mudo ("mute"). Ou então se você não gosta de jogo sem barulho e a voz marcante do Galvão Bueno, clique em POWER e enfie o controle... No porta-controle.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Rapidinha da Semana #6



Já subiu para 45 o número de mortos pelas chuvas em Alagoas e Pernambuco (e esse número promete aumentar). Segundo a Defesa Civil de Pernambuco, 54 municípios foram afetados pelas chuvas, sendo 9 declarados em estado de calamidade pública e mais 30 estão em estado de emergência; são quase 30 mil pessoas desalojadas e X desaparecidos. Em Alagoas, já são 600 desaparecidos e 181 mil pessoas afetadas pelas chuvas. São quase 50 mil desalojados e 15 municípios em estado de calamidade pública. Os telefones não funcionam, as escolas suspenderam as aulas e não há abastecimento de água e energia para os moradores de boa parte das regiões.



- Até quando as cidades vão ser destruídas e as pessoas vão morrer, por falta de prevenção? Esperemos mais umas duas ou três catástofres naturais para tomarmos medidas mais extraordinárias. Abre o olho, Brasil, teu balde tá transbordando!




















A Copa do Mundo é de quem?!



Quem esperava uma Copa lotada de jogos disputados e um caminhão de gols está, com certeza, desapontadíssimo. Além da escassez de gols, o nível técnico das seleções tradicionais está deixando a desejar, fazendo com que até Honduras dê trabalho e França fique em último na fase de grupos (RÁ, mereceram!).

Talvez eu esteja sendo precipitado e patriota, mas a julgar pelo baixo nível da competição, o Brasil de Dunga tem grandes chances, já que seus adversários até agora não mostraram o bom futebol já mostrado em outras épocas. E o Brasil, por sua vez, ainda que não esteja mostrando o seu melhor, ao menos possui uma seleção compacta, que trabalha em equipe e aproveita as poucas chances que tem.

Mas é fato que essa Copa está morna, cheia de empates sem gols e jogos sem nenhuma jogada diferenciada sequer, na qual o mais divertido de se ver são as jogadas violentas na 'super câmera lenta' e os africanos doidos soprando corneta. Ainda assim, os africanos comemoram e se sentem bem; apesar do pouco futebol, a festa é de respeito, pois a felicidade que se estampa em seus rostos por sediar a copa, é inquestionável. E tomara que agora, no mata-mata, a competição ganhe uma nova cara, com jogos mais emocionantes que tenham, de fato, cara de Copa do Mundo e mereçam a grande festa realizada no continente das Vuvuzelas. E claro, torçamos que o Brasil mostre o gingado e o futebol com cara de samba que estamos acostumados a ver e cheguem ao título, não por descuido dos outros, mas por méritos próprios. E a receita pra isso, o Dunga já sabe: Xingando repórteres e mantendo o Kléberson no banco. Avante, Brasil!

Segunda começo a dieta!



Dizem por aí que eu adoro ser exagerado. Não é pra tanto... Mas eu quero que setenta mil pianos caiam na minha cabeça se metade da população, pelo menos, já disse a frase do título. Gordinhos, gordões, os que acham que são gordinhos, complexados e boazudas; claro, por mais que não precisem, já disseram. E o que faz a dieta ser esse divisor de águas entre a simples estética e uma necessidade quase inalcançável? Vou tentar explicar, até porque segunda-feira passada, eu comecei a minha.

Sabe por que dois terços das pessoas que querem fazer dieta não conseguem? Dois fatores: primeiro, porque a estética fala mais alto do que a própria vontade. Quando se faz algo para impressionar aos outros não dá certo. Tem que impressionar à si mesmo, e não começar uma nova dieta toda segunda, só porque o mundo diz que você tem tendência a ser gordo. Falando nisso, cê tá gordinho, hein?!

Outro fator bem importante, o segundo, é que a dieta te obriga a comer coisas que você odeia. Já devíamos estar acostumados, tudo que é mais gostoso, engorda. Tem que ter uma resistência descomunal pra conseguir resistir a uma pizza, porque está fazendo uma dieta à base de suco de nabo. Quando se começa uma dieta e a primeira coisa que se come é ruim, você desiste. Mas se não gosta de suco de nabo, pra que fazer uma dieta que envolve a porcaria do suco de nabo? Existem inúmeros outros alimentos que possuem as mesmas vitaminas do nabo. Pesquise. Pode-se SIM fazer uma dieta comendo coisas que goste. Sabia que sorvete não engorda? Pois é, ele tem cerca de 70% de leite em sua formulação, o que faz com que 3 bolas ao dia supram a necessidade de um copo de 300ml de leite. E cá entre nós, uma dieta com sorvete é simplesmente a melhor coisa do mundo!

Então mexa esse traseiro gordo e trate de prolongar as suas dietas além das segundas-feiras. Fazer por fazer é como cagar sem vontade, não adianta nada, assim como comer seis sanduíches do McDonald's e tomar um suquinho de nabo "porque tem poucas calorias" também não vai adiantar.

Mas lembre-se: suco de nabo é horrível. Ficadica#

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Rapidinha da Semana #5

O habitantes do Planeta Terra podem ficar despreocupados. O mundo não vai acabar em 2012... Vai ser em 2013. Pois é, não adiantou muita a coisa, mas pelo menos teremos o que podemos chamar de 'feriado mortal prolongado'. Segundo a galera da NASA, o calendário dos Maias estava errado (oh, really?!) e o mundo pode acabar, portanto, em maio de 2013, devido a uma tempestade solar, e não em 2012 como previa a civilização. Tenso.

Beleza, pega o protetor solar fator 250 e partiu praia!


segunda-feira, 14 de junho de 2010

Rapidinha da Semana #4


Durante a transmissão da Copa do Mundo, na África do Sul, nossos célebres e dispensáveis comentaristas deram seu ar da graça e falaram as mesmas babaquices de sempre. Galvão confundiu "Zizinho" com "Cicinho", por causa do sotaque do jogador naturalizado, filho do ex-craque, Zizinho. Casagrande foi além, filosofou, esbanjou sabedoria quando disse que "O gol de empate dos EUA deixou os americanos felizes e os ingleses tristes".

E eu ainda me pergunto: Por que não me tornei comentarista? Pra falar o que esse povo fala, eu já tava bem na fita! CALA A BOCA GALVÃO

O verdadeiro significado de 'Amigo'

Amigo é, por fim, aquele que está com você em qualquer tipo de hora. Digo 'por fim', pois o termo 'amigo', já é uma conclusão de uma série de fatores. O fato de você encontrar uma pessoa, no meio de milhares que consegue te entender mais do que ninguém, é algo fora do comum. Não só te entender, mas também fazer cara de que entendeu até quando não compreende nada do que você tentou dizer que está sentindo. 'Amigo' siginifca aquele que consegue te fazer bem com todos os pequenos tipos de gestos. O polegar pra cima, quando diz que aquela menina é, desculpe aos que não gostam de palavras fortes, gostosa. Ou o dedo do meio pra cima, quando você faz aquela brincadeira que o deixa estranhamente constrangido. O abraço, que funciona como um botão de 'liga e desliga' do choro, quando você se sente mal. O tapa na cara quando você está perdendo o controle, e o tapa na bunda quando você está abaixado, pegando alguma coisa no chão. Aquele que você pode ligar de madrugada pra contar um problema, desabafar, chorar e que com certeza, depois de te ouvir, vai adjetivar a sua mãe. O que te defende de tudo e todos, que entra na sua frente pra te defender, mas que te larga rapidinho quando um rabo de saia passa dando condições de uma aproximação. Ou mais que isso, 'amigo' é o que consegue entender as suas ideias só com um olhar, um movimento ou uma palavra. E se não entender não tem problema, você vai chamá-lo de insensível e burro, explicará e depois ficarão rindo disso por dias, até se tornar uma piada constante e interna, que só vocês dois saibam. Ele ri com você e ele ri de você. Ou vice-versa. Não se espante quando o seu amigão do peito, no mesmo instante em que tenta te acalmar quando acontece algo sério, faz piadas de 'humor-negro' pra dar o toque final, de descontração. Ou que tenta te acalmar e ao mesmo tempo está te ajudando a tramar uma vingança.
É por isso que amamos nossos amigos. Eles são espontâneos, são originais, brincam na hora da tragédia e fazem você se sentir bem, não importa a circunstância.
E vejam vocês, os melhores dos melhores amigos, nós gostamos de chamar de irmãos. Mesmo que nós, por ventura, odiemos um irmão de sangue que possamos vir a ter, chamamos o amigo dos amigos de irmão. E talvez por já existir uma relação de sangue com o termo 'irmão', foi que o termo amigo passou a existir.
O termo 'amigo', resume todos esses fatores descritos acima. O 'amigo' chora, grita, pensa, bate, xinga, reclama, adverte, aconselha, conta, explica, entende, faz, não faz, briga, teima, chuta, olha, ouve, fala, cheira, enrola, discute, brinca... E no final de qualquer um desses, vocês riem. Amigo é, por fim, aquele que está com você em qualquer tipo de hora.

sábado, 12 de junho de 2010

Uma vida e nada mais.



Ah, quem me dera se a vida fosse vendida em supermercado. As velhas vidas, que já estariam acabando de tão gastas, poderiam ser repostas, comprando vidas novinhas em folha, intactas. Não sofreríamos com perdas, pois elas rapidinho seriam renovadas. Porém o que faz desse sonho ser tão inalcançável, é o simples fato de que a vida é muito mais do que uma simples oferta de prateleira. A vida, meu caro, é algo muito além da nossa compreensão e não nos damos nem conta disso. Não por não sabermos, de fato, o que é a vida, mas sim porque somos obra de uma herança de processos inevitáveis, passos marcados de outras épocas. E eu te pergunto: o que somos, afinal? Não somos nada, somos partes de um conjunto, de uma história que pode acabar a qualquer minuto. De um deslize qualquer, de um acidente, de uma vingança, de uma causa natural... Digo isso porque, quando menos se espera, a gente vira saudade. Nascemos, crescemos, aprendemos, trabalhamos, suamos, temos filhos, envelhecemos e no final viramos uma lembrança. A vida faz mesmo sentido? Não.
Talvez viver seja muito mais do que imaginamos, muito mais do que a mescla de pensamentos. Completamente inexata, que estudos e conceitos nunca sejam capazes de explicar um dia. Não podemos estudar e conceituar algo que muda constantemente, de pessoa para pessoa. A vida é indefinida, imprevisível e o homem só é capaz de vivê-la encarando tudo, dando um passo de cada vez e só podendo completar o próximo passo tendo a convicção da sua própria vontade. E olha só como a vida é, como nós somos. Vivemos tudo, encaramos tudo, para que no final voltemos a ser nada. De que adiantaram horas de esforço? De choros e risos? De perguntas e explicações? Eu respondo, do jeito mais humano que consigo: serve para sermos lembrados, por aquilo que fomos, por aquilo que contribuímos com a vida de cada um. Embora a tristeza consuma algumas vezes, nada mais doce que sentir saudade de aquilo que, um dia, foi uma dádiva em nossos caminhos. Esteja certo que por mais difícil que a vida seja, estamos preparados para vivê-la e não importam os obstáculos, seguiremos firmes. E nem as perdas nos farão menores, nem as derrotas nos farão inferiores. O que está feito, está feito e n'uma ideação cliché: viva. As estrelas, nós buscamos lutando.

Vá com Deus, Claúdio (Funa). +11/06/2010+.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

A boa ação

O céu já não era mais tão azul. Calma, não é uma história triste, só não era mais azul porque a manhã já virara entardecer. Pois bem, isso foi uma introdução sem graça pra dizer que eram cinco horas da tarde.
O ônibus não estava tão vazio como de costume, tanto que umas três ou quatro pessoas tiveram de ficar em pé. Mas ali naquele meio de gente, parecia que um deles queria fazer uma boa ação. E uma senhora de cabelos grisalhos, sentada bem próxima à porta de saída, perguntava à todos que estavam em pé se não queriam que segurasse a bolsa.



- É pra você não ficar com peso, querido(a)! - dizia a velha senhora.



E todos agradeciam e diziam que não precisava. Mas a velhinha insistia e à medida que pessoas entravam e se amontoavam de pé, ela perguntava se podia fazer tal gentileza. E ninguém cedia, não por medo, mas por não terem coragem de dar uma bolsa pesada para uma velhinha tão pequena.

Até que não houve jeito. De tanto insistir, uma jovem universitária, cansada de passar o dia na faculdade, não necessariamente estudando, não aguentou o peso da bolsa e entregou-lhe à senhora para que segurasse.

E assim foram por uns quinze minutos. A senhora, muito meiga, simpática, não parava de falar, enquanto a menina cansada e de pé, não fazia tanta questão de ouvir. Até que finalmente, a senhora parou de tagarelar e pediu que a jovem puxasse a cordinha para ela. A menina prontamente puxou com um sorriso.

Quando o ônibus parou, ninguém podia acreditar no que tinha visto. A senhora levantara com uma velocidade impressionante para alguém daquela idade, derrubara a menina no chão com uma bengalada e desceu correndo do ônibus com a bolsa dela.

E todos ficaram olhando pela janela, a senhora correndo pela rua com a bolsa da jovem. E aí você se pergunta, qual a moral da história? Não sei, nunca tinha visto isso acontecer, mas foi bem engraçado.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Rapidinha da semana #3



O Primeiro Ministro japonês, Yukio Hatoyama, renunciou o cargo após apenas 8 meses de mandato. O Ministro, além de criticado por manter uma polêmica base militar americana no Japão, também se viu obrigado a renunciar após inúmeras reclamações do povo japonês, pois o mandatário não estava cumprindo promessas de campanha.




Ah, Jesus, se no Brasil fosse assim! Já imaginou não ter ninguém, de Deputado à Presidente? Tenso...

O primeiro barbeador

Já era tarde e meu pai não chegava. Não extamente tarde, eram apenas 15h, mas papai geralmente chegava 12h para o almoço. E de tanto pensar nele, eis que escuto o barulho da porta; já conhecia o jeito de virar a chave, de colocar a carteira sob a mesa. Boto a cabeça pra fora do quarto e o vejo, ao fim do corredor, todo sorridente como de costume, com um pequeno embrulho na mão. Pequeno mesmo, era mais pacotinho do que embrulho. Já sabia até que era pra mim, pela cara que ele fazia. E com um "você vai gostar", me entregou-o. Abri e fiz uma cara indefinida, daquelas que se mistura dúvida, felicidade, frustração... ganhei um barbeador. Não um barbeador qualquer, mas sim o primeiro de minha vida. Não sabia bem o que significava aquela história da primeira lâmina dada pelo pai, coisa e tal, tal e coisa... Mas enfim, era bem por aí, como se imagina. Fomos para o banheiro, ficamos só de bermuda e ele me ensinou todos os truques.
A barba ainda era lisa, fina, não seria difícil de tirar, pensei eu. Enchi a cara de espuma e passei a primeira vez; não era tão fácil como imaginei; que baita sensação estranha! Boa, refrescante, ardente. A segunda, de tanta euforia porém, veio com um corte na bochecha. "É normal", papai dizia com a cara também cheia de sabão. E assim foi a terceira, a quarta, a quinta... Enxaguei o rosto, passei loção e pronto. Senti-me orgulhoso de mim mesmo! Comecei como menino, acabei como homem.
O primeiro barbear, o primeiro corte, a primeira vez... Contaria aquilo tudo na escola, logo quando me dissessem "Ah, fez a barba!". Percebi que, a partir dali, tudo seria diferente, me vi como um senhor barbudo, me vi meu pai. Vou fazer igual com meu filho e ensinar tudo. A primeira vez a gente nunca esquece, né, pai? Ah, se é...

Tudo que a vida pode dar, é o proveito que se tira de viver

Um lugar, uma pessoa, uma partida de futebol, um pedaço de papel... Têm certas coisas na vida que nos fazem um bem danado. Não por serem exatamente as melhores, mas por serem aquilo que mais precisamos em algum momento. A melhor sensação do mundo quando se chega em casa com vontade de urinar ou a sede maldita que se mata com aquele copo de água. Tudo faz bem, quando se faz na hora certa. E a rotina, o jeito chato de levar a vida acaba tornando essas coisas indispensáveis.
O que te faz bem? À mim, o paraíso de mar e ruas barrentas, faz. Mas e à você? O bom da vida, como já disseram muitos e muitos, está nas coisas simples. Sabe como é, a vida é complicada... Coisas simples é que são boas, fáceis de lidar.
A vida em si, são palavras; você escreve, rabisca, junta letrinhas, frases, ideias e forma uma história. E mesmo que tente apagar, sempre fica aquela marquinha no papel. Saiba sempre levar a vida do jeito bom: simples, só com seu lápis na mão.

Nem conto, nem crônica

Confesso que não sou muito bom em me expressar às vezes. Tudo bem, já fui pior, mas ainda assim tem dias que falta jeito. Só sei que estou feliz e não sei bem porquê. Sabe aquela sensação repentina de prazer? Vontade de rir, que te faz procurar graça em qualquer coisa só pra não soltar uma risada fora de hora, sem sentido.
Sendo bem sucinto, estou n'um lugar que me proporciona as sensações mais "virgens" de alguém. Aquela sensação boa, como da primeira vez que se fez... Não sei, é muita doideira.
Esse texto não foi crônica, nem conto, foi vontade de escrever algo e pronto; pode entender como quiser. Ou não.