domingo, 21 de fevereiro de 2010

- Para de reclamar e procura

- O que você quer que eu faça, homem?!

- É só pegar, ora!

- Pegar o que?

- Essa coisinha aí, na estante...

- Que coisa? Não tem nada aqui, só a mentira!

- Isso, tá do lado da mentira!

- A falsidade?

- Não, em cima! ...achou?

- Não, só a arrogância... embaixo num tá, só tem avareza...

- Vê do outro lado, cuidado pra inveja não cair em cima de você!

- Também não.. merda, a inveja caiu! E ainda quebrou a pureza!

- Deixa, a pureza tava velha já... achou?

- Não, só mais um bocado de ira.

- Porra, não é possível cara, tenho certeza que deixei a verdade bem aí!

- Será? Acho que tu AHH achei, tava tão escondida que eu nem vi...

Dormiram com o Bozo

Eu vejo um palhaço em cada favela; herói da miséria.
Eu vejo um palhaço em cada governo; herói da corrução.
Eu vejo um palhaço de farda em cada esquina; herói da violência.

É tanto palhaço junto que o circo já está armado e ninguém se deu conta que a lona ja voou com o vento e eles tão fazendo show de graça.
Fica mais divertido ainda vê-los fazendo as mesmas palhaçadas, até depois de descobertos; e não tem um desgraçado pra tacar um tomatinho e dizer que a porra da graça já acabou...

Câncer Perdido (?)

O bagulho tá ficando sinistro, "mermão"; agora ou a gente morre de bala perdida ou a gente morre de câncer. Juro pra você, quando não acharmos aquelas balas pelas ruas que os fardados têm mania de perder, temos um câncer, até porque hoje em dia tudo é cancerígeno, ganha até graça quando saímos de casa e alguém diz que tudo aquilo que comemos, bebemos, tocamos, fodemos, dá um câncer, seja do cerebral até o do mindinho do pé. talvez porque seja mais prático dizer que foi um câncer, quando os médicos não sabem exatamente do que te mataram.
Heróis? Coisa do passado, rapaz; os que deviam te proteger são corruptos, os que deviam te socorrer também. Não tem pra onde correr quando tudo que que te dá prazer vira risco de vida.
"Tá ligado que isso é obra do governo, né?" é o que todo brasileiro ignorante diz, mas se cada um se esforçasse o mínimo que fosse, o buraco não estava tão perto assim do nosso nariz.
Mas como não é problema meu, vou seguindo em frente. O negócio é viver a vida, morrer é mera consequência. Só resta saber se vamos virar manchete do Souza Aguiar ou do Morro do Macaco.

O universo n'uma Estrela

Que há de tão belo nas estrelas que me causa tanta perplexidade? Será que é porque estão a milhares, talvez milhões de quilômetros e ainda assim podemos ver um ponto brilhante que, de perto, é muito maior que eu? Será porque vejo o mesmo céu que pessoas de outro estado também veem? Não sei, talvez um pouco de tudo; as estrelas, como o mar, me fazem pensar no que sou e no que fiz, me fazem viajar. E a cada estrela cadente, desejo um sonho que busque o real. Queria muito um sorriso branco da minha Roza, tanto que desejei isto em todas as cadentes esperançosas que passaram.
É certo que as estrelas me fazem delirar, mas não seria esse delírio uma forma de refletir? Talvez não precise de desejo para sorrir... basta só... vontade.
A poeira do céu, a complexidade do universo, de uma estrelinha só até... a vontade de voar e pegar uma estrela com a mão, certamente mostram que a vida é uma estrelinha num universo todo... É difícil tentar entender as estrelas, de onde elas vem e como vão. Há muito mais numa simples estrela do que se pode imaginar, não importa de que estrela esteja falando. Mas... estrelas apagam, não apagam?

Mais uma...

Aos poucos vou percebendo que o ciclo da vida é doloroso, e que de ciclo em ciclo vou sendo abandonado.
Foram-se 1, 2, 3, 4... até quando vai dar? Quero mais é acreditar que conseguirei seguir sozinho e virar saudade de um novo ciclo.
"Deus é grande, meu filho, Ele sabe o que faz."

Dramatize-se =( =| =)

Alguma vez já anseou pelo fim do teatro da sua vida?
Tudo depende do ponto de vista, quando você quer ser o coadjuvante ou a estrela. Não seja nada, apenas atue de modo transparente e queira sempre improvisar quando errar diante de sua plateia.
A cortina se abre novamente; é chegada a hora do 2°, 3° atos. Resolva-os, passe por eles como se houvesse decorado, cante, dance, encene, dramatize, faça tudo que quer e a vida não deixa, mas que seu teatro permite.
O teatro é a vida, mas a sua vontade de encená-la não parece ser real, quando acredita que a cortina está se fechando e você nem apludido foi. É só seguir o roteiro! No final, tudo acaba bem, talvez não como você espera, mas bem.

The Mask

Máscara que omite toda nossa vontade. Se nos teatros de pedra da Roma Antiga, as máscaras serviam para ver expressões e sentimentos de longe, no teatro do cotidiano, a nossa máscara quer mostrar feições inglórias e ficciosas para ver os sentimentos de perto.
A lágrima já não é o sinal mais claro da pureza e da verdade; tem uma máscara cheia de rachaduras e marcas. Basta só colocar uma máscara de bobo e chorar por detrás dela a vontade. Coloque a da tristeza e goze da vida, rindo atrás da máscara, deixando o seu redor deveras preocupado (por nada). A máscara só não pode cair, pois se cair...

Surpresa

E no dia em que a vida não nos causar mais surpresas, que nosso ciclo se encerre.
O que fazer quando a ansiedade bate por uma coisa que não virá? O gosto por um futuro que você quer conhecer, a vontade que dá de pensar como um romântico e acreditar no "bom otimista" da vida, com todo amor que houver. E se o baque da onda que vem acaba com o seu imaginário, "apenas" não há porque se sentir mal, amor. Imagine-se as montanhas costeiras, que por ali permanecem séculos sem se abalar com o baque forte das ondas...
Seja forte e tenha sempre em mente que o bom da vida é viver; o que acontece é só natural, mero capítulo de um livro que ainda não chegou na metade, na pior parte, nem no final feliz.